Links às páginas Web anteriores do KKE

As páginas internacionais do KKE mudam gradualmente para um novo formato. Pode encontrar as
versões anteriores das páginas que já estão actualizados (com todo o seu conteúdo) nos links abaixo:

A infindável espiral descendente do oportunismo europeu

É bem sabido que o capital europeu e a sua união, a UE, adquiriram desde há muitos anos o seu "coro de esquerda". Vários partidos estão a desempenhar este papel, partidos que se auto-denominam "progressistas" e "de esquerda" e até mesmo alguns partidos que mantêm a palavra "comunista" no seu nome, há muitas décadas foram assimilados à corrente oportunista e social-democrata do "eurocomunismo". Estes últimos, tais como por exemplo o Partido Comunista Francês (PCF) desde há muito divorciaram-se do marxismo-leninismo e do internacionalismo proletário, tendo mesmo abandonado os símbolos históricos do movimento comunista e, em nome da "esquerda" tornaram-se a "cauda" da social-democracia. Eles tentam também branquear o sistema capitalista e as uniões imperialistas da UE e da NATO. Contudo, mantêm a palavra "comunista" no seu nome e deste modo, além da actividade enganosa nos seus próprios países, até participam nas reuniões internacionais dos PCs, procurando desempenhar um papel semelhante. Se podemos julgar a partir dos eventos da recente festa de L'Humanité, o jornal do PCF, a espiral descendente não tem fim. 


De que outro modo poderíamos nós mencionar o facto de G. Katrougalos, ministro do Trabalho do governo SYRIZA-ANEL, ter sido convidado a falar nesta festa? Por outras palavras, a pessoa que tem massacrado, através do 3º memorando acordado entre o governo SYRIZA-ANEL e as organizações imperialistas, direitos dos trabalhadores, salários e pensões e agora pretende restringir o direito à greve foi convidado ao festival deste partido "comunista" para falar acerca de "políticas neoliberais". O mesmo homem que os trabalhadores e pensionistas numa recente mobilização do PAME descreveram como sendo um moderno... "mãos de tesoura". 

Esta é a pessoa que os "comunistas", agora só de nome, da França decidiram convidar. 

Naturalmente isto não foi por acaso quando se considera que para a discussão verificada na porta ao lado eles convidaram o general Dominique Trinquard, um chefe de missões militares da ONU e da NATO, a falar acerca de desenvolvimentos internacionais e do "nosso lar europeu comum". Sim, leu correctamente, a NATO, a organização imperialista que massacrou e continua a massacrar os povos. Isto pode soar irracional para comunistas na Grécia, bem como para comunistas em muitos países de todo o mundo. Contudo, não é estranho para um partido que apoiou plenamente intervenções imperialistas recentes da NATO na Líbia e da UE na República Centro Africana. 

As palavras de Lenine são relevantes hoje, quando afirma que a luta contra o imperialismo está inextricavelmente ligada à luta contra o oportunismo. 

24/9/2016